Namorando ex de um amigo

Seu subconsciente pode estar pregando peças em você e implorando para que você fique ao lado da ex namorada mesmo que seja como um amigo. Então, não deixe que ele te engane! Você pode se machucar se quiser manter a amizade quando, na verdade, gostaria de estar beijando a sua ex e se declarando para ela. Como Ser Amiga de seu Ex Namorado. Mulheres, homens, namorados, namoradas, parentes e especialistas em relacionamentos, todos discordam a respeito da possibilidade de ser amiga de um ex-namorado. Aparentemente, as opiniões se dividem: Uma... Deus escreve certo por linhas tortas, nós sabemos bem disso. Ele nos colocou um no caminho do outro destinados e nós, com nossa pouca sabedoria, confundimos os sentimentos de amizade. Mas graças a Deus, o tempo que namorados serviu para nos conhecermos melhor e aprendermos a nos respeitar. Não perdemos nada, apenas ganhamos. Eu ganhei um grande amigo que eu admiro e gosto muito. Por isso ... Se ainda falo com o meu ex, é porque somos maduros o suficiente para entender que o fim de um namoro não é o fim de uma história. Todos os momentos felizes que vivemos juntos permanecem na nossa memória, assim como a amizade que construímos durante esses anos não se desfez. Como Continuar a Amizade Com Um(a) Ex Namorado(a). Separações são difíceis. Perder a companhia de sua ex é parte do que faz o término ser tão difícil, especialmente se vocês eram amigos antes de começarem a namorar. Este artigo irá... A ex de um amigo da galera começou a namorar outro amigo da galera e, hoje, está casada com esse segundo cara e todos estão muito bem, obrigada. O segredo é ser honesto e manter o diálogo Agora, se você já ficou com a ex do amigo, minha dica é: conte pra ele. vc disse ex de um amigo nao namorada de um amigo entao nao tem nada de errado se gostou pega oras o que é errado é vc pegar um a minha namorando. e outra a vida e sua vc faz o que bem entender dela>3 0 comentários curtir (0) 0 eles respondem. nomade. 22/12/2014 22h53 ... Querido ex melhor amigo, Por vezes paramos de nos falar, ficamos distantes por meses, nos distanciamos, mas antes nos entregamos um ao outro e eu deitava no seu colo e nele me sentia segura, como se nada pudesse me abalar porque você estava comigo,Eu te amei como irmão/ minha vida.

Voltei a conversar com uma amiga minha que tinha se distanciado de mim

2020.10.13 08:24 satanistboy Voltei a conversar com uma amiga minha que tinha se distanciado de mim

Essa amiga eu tinha um interesse romântico na época e falei pra ela q tava gostando dela e q sabia q ela tava namorando e q tava falando isso só pra tirar o peso sobre os ombros e q sabia q N ia rolar nada, mas ela ficou insegura ou decidiu se afastar pra Krl de mim e eu lembro q tinha ficado triste com a decisão dela de se afastar e não achava necessário a gente se afastou muito e quando a gente não se via mais pessoalmente eu mandava mensagem de vez em quando mas não fluía muito, e ela tava sempre com briga com o namorado dela (não por causa de mim) ent sempre ficava uma parada meio estranha
Tava conversando com um amigo meu e ele falou o nome dela (porém não se referindo a ela) e lembrei dela insta e mandei mensagem, pra minha surpresa ela tinha terminado (e segundo ela mesma, ela tem muita dificuldade em se abrir e desabafar com as pessoas) e. Agente conversou pra Krl, ela desabafou e falou muito sobre os sentimentos dela e como q tá sendo pra ela lidar com o término com o ex escroto dela e Krl a 4 e voltamos a conversar e estamos voltando ao normal de como eramos antes de eu falar q gostava dela, e tô felizão que a gente tá bem e íntimos e próximos um do outro novamente (só não queria q ela tivesse tido q passar por um término pra voltarmos a conversar com a quantidade de fluidez que tínhamos antes)
submitted by satanistboy to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 07:03 marvinpls sentimentos pós término de namoro é um negócio complicado

todo mundo que sente que vai terminar um namoro já se declara solteiro antes mesmo de concretizar o término, e consequentemente fica ruminando pensamentos de "e agora? como vou me virar". por mais que sejam óbvias as respostas, elas ainda se repetem, afinal somos seres mais sentimentais que racionais.
pois bem... eu passo por isso.
me dei como solteiro namorando, terminei pensando nas piores coisas (eu sabia que ela iria estar com outro num futuro próximo, e que esse tipo de coisa era inimaginável pra mim), e por incrível que pareça, por tanto eu pensar e repensar nessas coisas, perdeu o sentido. eu já não ligava mais se ela ficasse com o outro, pois a parte importante do término foi o bem que aquilo me fez (eu fui muito prejudicado).
mas sempre entra aquela velha discussão do dever versus fazer...
estava eu e uns amigos conversando sobre término de namoro de um jeito descontraído, e eu acabei citando minha ex. um deles falou brincando sobre um stories que ela havia postado, e mesmo já prevendo tudo que poderia acontecer, das piores formas ("piores", hahaha), aquilo mexeu comigo de um jeito diferente de como imaginava antes na minha cabeça. O comentário sobre o stories nem foi algo maldoso, foi algo tipo "ah, eu realmente tenho visto ela saindo bastante com um pessoal aí no insta". só. poderiam ser amigos ou whatever, mas minha mente voou, mas incomodava de um jeito diferente do que quando estava pra terminar.
ps: desde que terminamos, eu removi literalmente tudo que tinha vestígio dela no meu alcance. não vejo status de lugar algum, e nem tem como ver pois ou mutei, ou dei unfollow, ou removi contato. não foi bloqueio nem nada.
enfim. é isso. ficou meio confuso, eu tô digitando enquanto sinto essas coisas, acho que isso me faz melhor. eu adoro essa comunidade.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.10.10 01:17 Enscie CERTAS PESSOAS MERECEM MORRER

Essa e um aparte da minha historia!
Na pre escola, prezinho e 1 serie sofri bullyng da professora e alunos, professora me ameaçava a por no escuro e que bixo pápao ia me pegar, que o tio lá era um monstro e ia me punir no escuro! Eu criei altos medos deles, sonhos e tal... ate hoje eu tenho medo do escuro... Fico nele mas tenho um certo medo de coisas sobre naturais e tal.
Sofri abuso na escola com 8-10 anos, contei a pouco a mãe com 24 anos!
Os meus "Amigos esfregaram a pica na minha cara, simularem sexo de 4 comigo " e tal, não foi uma vez e me ameaçaram pra não contar!!
Aos 16-17 sofri duvidas da sexualidade!
18 - 20 Fiquei muito deprimido e triste, queria algo bom, sair namorar, uma casa melhor e tal!
21 as 23 Namorei com uma menina legal, mas que sofreu abuso quando nova, a mente dela era ferrada e achei que a gente podia se entender mas ela criou uma casca dura por tudo que rolou e talfoda terminamos mas ainda queria ela! 7 meses depois! Tive mais duvidas de sexualidade namorando com ela! Isso ferrou minha relação, ela era bi e tal... Achei que isso ia nos fazer se entender.
Historia da minha casa! Reposta um outro tópico meu no reddit sobre minha tia e a família do meu pai e casa que vivo, tipo isso e foda pq aconteceu em paralelo de tudo acima do resumo acima!
Cara ela merece! Ela nunca deixou nois reformar aqui e meu pai mora a 20 anos aqui, quando a mae dele era viva ela também não deixava, ele nunca quis sair daqui pra não pagar aluguel, mas viver numa casa com mofo, parede caindo reboco, infiltração só foi fodendo meu psicologico, pois nem amigo trazia aqui, descia do onibus publico da escola longe de casa e ia a pé pra não ser zoando pela casa velha!
Meus amigos da escola que descobriu onde eu morava, mas eu nunca falei! E fique chateado quando vieram aqui! Pq era uma coisa que podia ter sido mudada, uma reforma e tal! Mas eles não deixavam a gente reformar, e agora tem uma casa em cima dessa caindo aos pedaços e não pode derrubar por que a casa de baixo esta meio fragio... Enfim e agora ela esta querendo roubar esse terreno que é de familia dzendo ser dela! Já ate mandou cartão pra gente desocupar ou pagar aluguel, aik meu pai entrou na justiça! Serio eu quero me mudar daqui pra ter tranquilidade!
Acho que matar ela ia resolver um monete pro meu pai e mae! E resto da familia pois ela ta bem e as filhas indo pra faculdade, casa boa e tudo e nois aqui lutando só com minha mae trabalhando e meu pai com hidroceles e não quer se aposentar ou arrumar um trabalho! E eu fodido do pscicologico!
Atualmente quero tomar antidepressivo que trata ansiedade! Pq vi um adio da minha ex sogra e suei, o coração acelerou e quase morri pra dar play nele! Se sonho com algum problema fico super preocupado! Larguei ate um trabalho que consegui recentemente 10 dias depois... to me sentido mal, com a cabeça pesada, ta foda! Angustiando e tal! Tenho ejaculação precoce e ja tomei depressivo pra isso e eu queria sair com alguém mas esse problema me envergonha e tras sofrimento e tomei antidepressivo pra isso uma vez! E melhorei nas outras coisas sabe! Enfim... To tendo muita dor de cabeça e preocupação, quase não durmo ou viro a noite e durmo mais de dez horas quando durmo, ta foda! Tem dia que não quero levantar tipo hoje! Queria ao menos uma renda! Quero me mudar, mesmo que na quarentema a casa sofreu um a reforma, minha ex veio aqui duaz vezes mas acho que me largou por isso também! Enfim e a boasta toda só me fode e não vejo saida!
Desculpa o portugues mas nem to lembrando direito as escrita e pontuação e tal! Acho qe nunca aprendi isso ou e muita coisa na mente que ta dando umas esquecimento! Velw por ler ate AQUI
Grato se leu ate aqui! Se puder me ajudar!
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.10.07 06:01 contadescartavel12 vale a pena?

[aviso de textão]
Primeiramente boa noite a todos que se dispuseram a ler. Prazer, sou um rapaz de 20 anos que já perdeu o amor na vida a muito tempo.
Talvez eu tenha depressão desde os 13 anos ou antes, depois de tanto tempo já deixei de sentir tristeza profunda, agora todos os meus dias são só vazios e sem esperança. Durante a minha adolescência o que me mantinha de pé era me embriagar até desmaiar e um tempo mais tarde foi os alucinógenos que me davam alguma alegria, nunca fui viciado em nada disso, mas nunca fiz um uso consciente tanto do álcool quanto do LSD. A única certeza que eu tinha é que eu tinha que morrer antes dos 18, fui fraco, não foi por medo nem nada, eu sou ateu desde que me entendo por gente então a única coisa que eu tenho certeza na vida é que o suicídio é a porta de saída de toda essa merda, porém não o fiz, ainda não entendi o motivo disso.
Não sei como nem o porquê deixei eu chegar nesse estado em que me encontro, hoje me sinto mais sozinho que nunca, não existe ninguém nesse mundo em quem eu possa me apoiar, dai vem o questionamento do título: vale a pena viver uma vida sem esperança, sonhos e alegria?
Sobre família:
Durante muito tempo senti muito ódio dos meus pais e parentes, odeio eles com todas as minhas forças, mas hoje é mais um sentimento de desprezo. Meu pai foi ausente toda a minha vida, ele aparecia uma vez por semana completamente por obrigação social e para mostrar pros outros que ele ainda tinha o mínimo de ombridade, então ele sempre foi um nada pra mim. Minha mãe me teve de uma gravidez acidental e imagino eu ela tem na cabeça dela que eu tirei os anos de ouro da vida dela, então ela me odeia e o sentimento é recíproco. Nunca houve nada muito grave para odiar eles, mas mesmo assim tenho meus motivos e acho que não cabe aqui me apegar a muitos detalhes.
Sobre amigos:
Durante a escola eu sempre fui muito comunicativo com as pessoas, pelo menos na minha visão acredito que se perguntarem para qualquer colega das escolas que estudei vão falar que sou uma pessoa muito engraçada e legal de conversar, mesmo sendo essa pessoa agradável acho que posso ser considerado o "invisível". Eu acredito piamente que as pessoas gostavam de mim, mas ninguém lembrava de mim, sempre me convidavam por dó para fazer as coisas ou sair com os outros, nunca fiz parte de um grupo, sempre fui o excluído mesmo quanto tentava me enturmar mais. Eu podia conversar todo dia o dia todo com a pessoa e mesmo assim fora da escola eu nunca era mais que um colega. Hoje posso dizer que me restaram 2 "colegas" que não posso afirmar que continuaram a lembrarem de mim por muito tempo.
Sobre relacionamentos:
Já adianto que não estou nem perto do padrão de beleza, sou só uma pessoa nada demais. Nunca namorei nem mesmo fiquei serio com alguém, já fiquei com algumas meninas mas na muito além disso. Talvez eu possa ser considerado demissexual, mas não tenho certeza disso, por não me interessar por sexo e buscar a mulher certa para amar e ser amado, sempre fui chamado de "viado", o que fez um estrago muito grande na minha cabeça e na época me fazia perder completamente minha autoestima.
Nessa época no meio de tudo isso passando pela minha cabeça fui usado por uma menina que queria fazer vingança pro ex namorado dela que era um dos meus melhores amigos (só pra esclarecer, ela armou tudo, esperou eu ter bebido uma garrafa toda de destilado para poder ficar comigo e ter alguma prova pra esfregar na cara do ex dela. Ela fez isso com pelo menos mais 3 pessoas.). O resultado disso foi eu recebendo chantagem psicológica por alguns meses enquanto eu tinha que abaixar a cabeça pra essa pessoa. Isso mexeu muito comigo na época, eu sentia muita culpa e nojo de mim mesmo.
No mesmo ano que isso aconteceu eu me apaixonei por uma colega de classe do cursinho, ela me tirou completamente do fundo do posso que eu estava. Nós andávamos juntos o tempo todo, almoçamos juntos, assistíamos aulas juntos, enfim, eramos muito ligados. Chegou um ponto que todo dia vinha alguém perguntar pra mim se a gente estava namorando, eu não tinha nem ficado com ela, estava criando coragem e estava conseguindo superar os traumas do passado para pedir pra ficar com ela. Bom, depois de uma sexta-feira em que foi o dia perfeito de nós dois juntos decidi que segunda sem falta iria tomar coragem e pedir para ficar com ela. No grande dia, ela chaga na sala de aula, dou bom dia e ela senta bem longe de mim, depois desse dia nunca mais ouvi a voz dela. Toda vez que me aproximava ela fingia mexer no celular, se eu perguntava alguma coisa ela fingia que não ouvia, me senti mais uma vez um invisível. Imagine uma pessoa que você gosta e considera muito de um dia para o outro começar a te ignorar, chegou ao ponto de eu sentar na frente dela e dizer exatamente essas palavras "[nome], eu te fiz alguma coisa? Você tá estranha comigo esses dias, eu não sei se eu te chateei com alguma coisa, mas me desculpa do fundo do coração, conversa comigo o que aconteceu que eu prometo que vou consertar." bom ela só abaixou a cabeça e fingiu mexer no celular bloqueado enquanto eu falava e dizia que tava tudo normal e que ela não sabia do que eu tava falando.
Depois disso a vida voltou a não ter brilho de novo, fiquei os últimos meses do cursinho sentado no meu canto sem falar praticamente com ninguém,esse ano passei numa faculdade que vou ter que dar o que não tenho por 6 anos para me formar. Agora só preciso esperar a pandemia acabar para começar a faculdade, ou seja estou a quase um ano dentro de casa esperando e pensando muito sobre a vida... eu sei que tem gente com muito mais problema que eu, mas eu cheguei a conclusão que não vale mais a pena... acho que meu eu de 5 anos a traz tinha toda a razão...
submitted by contadescartavel12 to desabafos [link] [comments]


2020.09.30 00:10 Egipci0 Minha mente esta me torturando, socorro

Então, já faz 1 ano ou 2 que minha mente esta me torturando, isso não tira meu sono e nem me faz chorar exatamente. Diria que é como uma paranóia quê acontece o tempo todo quando estou acordado. Eu fico achando que estou me tornando, e agindo como pessoas que eu não gosto, inicialmente era por via de respiração, posso explicar É como se quando eu olhava para alguém e respeitasse, eu a copiava ou coisa assim, deixava de ser eu mesmo, e para eu me sentir eu mesmo novamente tinha que ver uma foto minha e respirar, isso até ajudava a controlar Mas isso passou a uns dias, eu não me controlo mais, é como se em alguns momentos repetidos eu dissesse e falasse coisas quê outras pessoas que eu "desprezo" fariam
Exemplo:
Atualmente eu estou "namorando" uma garota, e o ex dela a fez um mal horrível, se aproveitava do seu corpo, chingava ela, tratava ela mal, ela chorava direto, e eu sou testemunha
Ela teve coragem e terminou, ele tratou ela mto mal, com frieza
Logo depois eu e ela começamos a conversar, e eu simplesmente me apaixonei por ela, mas ao ela me falar mais se o ex dela, eu via que ele era cada vez mais pau no cu e nojento, ele pedia nuds, e se ela não mandava ele chingava ou apelava pro emocional, e trava mina mal até por msm, era horrível.
Após isso a gente começou a se falar, e começamos a nos gostar, e "namoramos" hoje em dia (aspas pq ainda não oficializamos, mas nós nos conhecemos a anos)
E eu tentei falar com o ex dela, ele era "legal" aparentemente, mas ao decorrer da conversa ele era chato pra porra
Agr por odiar ele me sinto como se estivesse o copiando, fazer umas coisas quê ele fazia, me sentir como ele, e isso me dá verdadeiramente nojo, certas vezes quase vomitei (eu consegui segurar)
Atualmente ele me dei block e eu dei tbm, mas isso vem toda hora na cabeça, e com outras pessoas tbm, qualquer um, conhecendo ou não, e isso me faz dar tapas ja própria cara, socos, bater a cabeça na parede com força só pra tentar tirar essas outras pessoas que tentam me tomar
Eu já tentei explicar isso para ela, para meu melhor amigo e ninguém entende muito bem e nem sabe o que dizer
Hoje foi a gota d'água, não aguento mais tentar achar o é, e a solução, eu já tentei pedir pra Deus, mas não tem tanta eficaz
Eu to pensando em ir no psicólogo
Por favor, Socorro, alguém de diz o que é isso, me ajuda
Obrigado por ler pessoa boa do outro lado da tela, e der seu tempo a mim, obrigado^
submitted by Egipci0 to desabafos [link] [comments]


2020.09.27 08:56 throwwitbackaway Tratei alguém como gostaria de ser tratada e me lasquei

Há uns 2 anos tive um relacionamento bem traumatizante, fui webtraida (isso existe?) com uma garota que meu ex conheceu em uma viagem de igreja.
Foi bem difícil recuperar a confiança nas pessoas, relapsei no meu transtorno alimentar (perdi 10 quilos) e questionei todo o meu valor por meses, até conhecer meu atual namorado, um cara maravilhoso e que me trata muito bem.
Quando aconteceu isso tudo, muitas pessoas conhecidas na viagem souberam o que aconteceu e decidiram não me contar, sabe se lá porque, mas jurei que avisaria caso visse algo similar acontecendo.
Só que recentemente, dando scroll no meu tiktok um vídeo de um casal apareceu e eu reconheci a menina, que é da minha cidade, com o webnamorado dela. Fiquei ok e segui a vida.
Porém hoje minha melhor amiga foi em uma festa de um grupo de amigos dela e a moça do vídeo estava lá, deu em cima dela e de outras pessoas, pedindo pra ficar, inclusive falou que não tava mais namorando o dito cujo. Quando minha amiga contou isso fui conferir o perfil do garoto e tava tudo lá, as fotos e até o nome dela na bio.
Pensei pensei e decidi avisar, pelo menos tentar.
Mandei todas as provas pro garoto, o relato da minha amiga e de mais outras pessoas e quem disse que ele acreditou? Ele ficou com muita raiva, disse que eu tava mentindo por "inveja" e falou que acredita na namorada com a vida.
Não me arrependo de ter falado, mas cara como é difícil tentar ser uma pessoa decente. Fico pensando se eu reagiria da mesma forma na época que me aconteceu ou acreditaria na pessoa.
submitted by throwwitbackaway to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 21:25 hiroshibear O namorado de minha amada.

O título é interessante e por vezes pode ilustrar algo cômico. A situação na totalidade é confusa, complexa e cansativa, o que me fez repensar e evitar postar algo aqui durante um bom tempo.
Contudo nós cansamos, ficamos exaustos e precisamos absorver e observar com opiniões de outrem, que felizmente, não estão envolvidos e não possuem vínculos com nenhum dos citados aqui.
Conheço uma menina fazem alguns anos, nós sempre conversamos e tivemos uma relação interessantíssima. Ela é uma daquelas meninas que gostam de arte, de literatura, poesia e de estar em situações que liberam a adrenalina em seu estado mais puro.
Ela me contou que estava namorando e que estava feliz com isso. Prontamente desejei meus votos sinceros para o amor que continha a sua iniciação a partir daquele ponto.
Nós continuamos conversando, trocamos mensagens e saímos para tomar umas bebidas, entretanto sem malícia alguma, apenas na amizade mesmo. Éramos acompanhados por outros amigos e a nossa relação enquanto amizade estava intensa e belíssima. A realidade é que sou apaixonado por ela.
Cerca de alguns meses atrás, a recebi em minha casa, chorando e sem entender absolutamente nada. Os braços dela estavam machucados e ela estava com um olhar pesado, como de quem havia chorado muito e só gostaria de relaxar um pouco. A propósito, pouco a pouco as peças foram se encaixando e entendi a situação.
Fran estava sofrendo com ameaças, abusos emocionais e, em específico naquela noite, com uma agressão verbal e física. Ver ela daquela maneira corrompeu um pedaço de meu sentimento e chorei junto a ela.
Prontamente me coloquei a favor dela, deixando-me a sua total disposição, conversando e dando todo o suporte emocional que fosse necessário.
Fran me disse que iria terminar com ele na noite seguinte, por mensagem e que estava com medo de sofrer com represálias de amigos e parentes, além do medo de ocorrer ataques e perseguição vinda do Guilherme, que é o atual ex namorado dela, pasmem.
Estava exaltado, queria correr atrás dele enquanto precisava dar suporte e carinho para ela. Sou um homem que segue o lado racional, portanto, ela me mostrou todos os machucados e eu fiquei fazendo os curativos nela.
Quando eram por volta de três e meia da manhã, a chamei para ir dormir, e nós fomos. Ela tentou me beijar e eu recusei em respeito aos votos de fidelidade ao atual relacionamento.
Disse para ela que, caso quisesse ficar comigo, que teria que terminar o relacionamento primeiro. E que isso, embora ele possa até merecer, é algo injusto e que não cabe a mim. Fran concordou e se deitou ao meu lado para dormir.
Noutro dia tudo correu bem, ela terminou e me contou pessoalmente. A notícia se espalhou até que rapidamente, visto que nós moramos próximos de nossos amigos e somos quase que vizinhos um do outro.
Eu e Fran ficamos algumas vezes, transamos, trocamos cartinhas e todas as coisas fofas que vocês podem imaginar. Até chegarmos no estágio de anteontem.
Anteontem nós estávamos conversando sobre o futuro, e ela gradualmente foi me revelando suas inseguranças e seus planos. Me confessei para ela, disse tudo o que eu sentia, disse o quanto eu a amava e o quão seria bom ter ela todos os dias.
Fui retribuído, embora não fosse da forma que eu tenha pensado que ela faria. Acredito que a vergonha e a sinceridade da situação acabou ocasionando isso.
Agora, cá estou eu, pensando em como pedir Fran em namoro. Ela é uma menina bela, e eu a amo, amo o suficiente para querer ficar com ela durante toda a minha vida. O problema é que, assim que a pandemia acabar, ficarei mais distante fisicamente, pois terei que me mudar.
Ficarei um ano fora para resolver questões de família e ela poderia ir comigo caso pudesse e quisesse. Acredito que querer pode até ser que sim, todavia ela ainda está com certa dependência ao trabalho e ajuda a cuidar da mãe que está doente.
O que vocês fariam, amigos?
Fraternalmente, Anônimo do Reddit.
submitted by hiroshibear to desabafos [link] [comments]


2020.09.19 21:37 niallwhore Meu ex namorado estragou tudo e esse foi o maior favor que ele já me fez!

Segura que lá vem o textão com meu relato e uma mensagenzinha motivacional pra quem ta sofrendo por quem não te merece. :}
Esse ano eu conheci um rapaz por quem me apaixonei muito. A gente namorou por 5 meses e tivemos um relacionamento extremamente abusivo: ele me acusava constantemente de traição, não queria passar os finais de semana comigo, me agredia verbalmente, era obcecado com instagram e vivia brigando comigo por coisas fúteis relacionadas a redes sociais, não deixava eu ter amigos, não me avisava com antecedência quando ele ia sair pra visitar a amiga dele, sempre brigava comigo, ficava bravo quando eu comprava coisas pra mim, colocava palavras na minha boca, não confiava em mim nunca, ficou do lado do cara que me abusou psicologica e fisicamente - ao invés de acreditar em mim, ele ficava jogando essa história na minha cara como se eu tivesse culpa, além de tudo ele tinha CIÚMES do cara que me abusou. Enfim, comi o pão que o diabo amassou.
Foram 5 meses levando porrada, até que um dia ele desistiu de mim e terminou comigo. A justificativa dele era que eu ficaria melhor sem ele - ao invés de tentar trabalhar as coisas que estavam ruins, ele decidiu fugir. Ele terminou comigo umas 10 vezes enquanto a gente namorava e depois voltava atrás, mas essa última vez eu fui forte, peguei as palavras dele, aceitei o término e não voltei atrás.
Lidar com esse término tem sido extremamente difícil, porque eu ainda o amo demais, eu sinto falta dele todos os dias. Porém, desde que ele terminou comigo eu me apeguei aos meus amigos que se importam comigo, me reaproximei dessas pessoas e aprendi a ser um bom amigo novamente e estar ali pra eles.
Perder o direito de ter amigos quando eu namorei me fez valorizar muito mais as minhas amizades. É muito ruim e assustador não ter ninguém.
Estou passando por maus bocados, mas eu fico muito feliz de ver que não estou sozinho, sabe? De ter meus amigos e minha mãe me apoiando e me fazendo sentir como uma pessoa boa novamente (porque quando eu namorava ele fazia acusações tão graves sobre mim que saí me sentindo o pior monstro do mundo).
É bom demais desabafar com as pessoas próximas e não ouvir como resposta um “fica tranquilo que vai dar tudo certo” ou não me culparem por estar me sentindo mal e brigarem comigo igual meu ex fazia.
Eu estou podendo jogar videogame de novo, e não fico mais triste de passar os domingos sozinho, porque afinal eu estou solteiro, e ta tudo bem. Além de tudo, todo o espaço vazio que o fim do relacionamento deixou, eu estou usando para desenvolver projetos pessoais e profissionais, inclusive tenho uma amiga que ta me apoiando e me inspirando muito a explorar cada vez mais os meus potenciais.
Meu ex se arrependeu muito de ter terminado comigo e deixou claro várias vezes que faria de tudo pra me recuperar. Ele me disse que mudou, que se voltássemos a namorar tudo seria diferente, etc. Por mais atrativo que isso fosse, porque eu ainda o amava (e ainda o amo), eu fui forte e sempre tentava lembrar de tudo que eu fui forçado a deixar de lado porque ele mandou. Sem contar que o fato de ele ter me culpabilizado e me feito lembrar tantas vezes do abuso que sofri foi algo que eu não consegui perdoar.
Enfim, as semanas foram passando e depois de tantos surtos, indiretas injustas sobre mim que ele ficava postando nas redes sociais, entre outras coisas como o fato de ele ter ido brigar com uma amiga minha porque ela deu unfollow nele no instagram e de ele ter seguido um conhecido meu e dado block nele em sequência, as coisas foram acalmando um pouco. Ele parecia realmente estar mudando, e obvio que isso mexeu com meu coraçãozin de gado.
Embora não tivesse sido o bastante pra eu voltar pra ele, foi algo que me fez não querer afastar e tirar ele da minha vida. Eu deixei uma janelinha aberta pra ele entrar, caso se comportasse. E depois de vários dias que a gente estava se dando bem, eu decidi que iria acompanhar ele em um exame que ele ia fazer e ele falou que queria que eu fosse junto.
Eu fui acompanhá-lo e na hora de ir embora, ele disse que queria voltar pra mim e tal. Então eu conversei com ele durante horas com a maior honestidade sobre tudo que eu tava sentindo, e eu concluí a conversa dizendo a ele que se eu realmente sou o amor da vida dele e se ele realmente estivesse mudando, o tempo eventualmente iria mostrar e a gente iria acabar ficando juntos se fosse para ser. Ele disse que estava disposto a deixar o tempo mostrar que ele estava falando a verdade, então embora a gente não tenha decidido se afastar de vez nem voltar, a possibilidade tava ali no ar caso ele quisesse agarrar.
A conversa foi na quarta-feira. Quinta-feira eu segui no instagram um amigo de longa data com quem eu havia perdido contato. Em um plot twist bizarro, meu ex uma duas horas depois desse follow veio querer tirar satisfação comigo referente a este amigo que eu segui. Sendo que a gente tinha conversado sobre como esse tipo de comportamento dele era nocivo um dia antes.
Mano, eu fiquei puto com ele e me permiti surtar e falar o quanto que ele foi invasivo e o quanto essa situação foi fodida. Eu fiquei tão irritado com o que ele fez que não queria mais falar com ele. Ele me ligou algumas vezes durante a madrugada e mandou inúmeras mensagens implorando pelo perdão. Mas eu precisava ficar sozinho pra processar tudo aquilo.
É, galera, quando a gente ta apaixonado a gente é trouxa o bastante pra se decepcionar com a pessoa mesmo ela ja tendo vacilado com você inúmeras vezes antes.
Beleza né, no dia seguinte descubro que ele seguiu outro amigo meu com quem não tenho mais contato no instagram (e meu ex morria de ciúmes desse menino, porque nós já fomos muito próximos como amigos e tinha algumas fotos com ele no meu instagram). Além de ele ter dado follow no menino, eles trocaram vários likes em fotos. Eu vi aquilo e decidi que iria retirar meu ex das minhas redes sociais, eu chorei muito muito mesmo, mas beleza.
Menos de uma hora depois meu ex começou a me ligar de novo e implorar pra eu conversar com ele, porque ele não iria aguentar me perder e que precisava de mim. Eu primeiro tive que mandar uma foto minha chorando pra ver se ele acordava pra vida de que ele foi longe demais e depois fui bem grosseiro ao pedir para ele me deixar quieto. Ele disse que iria me deixar quieto, mas implorou pra eu não sumir de vez e encerrou com um “te amo, até”.
Depois dessa conversa fui conversar com esse meu amigo que ele seguiu no instagram, e o meu amigo disse que tinha conversado com meu ex pra tirar essa história a limpo (pra ver se ele ainda tava namorando comigo e tals) e meu amigo falou que meu ex disse que já tínhamos terminado e ele não queria mais ter nada a ver comigo. Além disso, meu ex falou sobre mim com deboche pra ele, como se o relacionamento tivesse dado errado e acabado por minha culpa.
Bom, gente, eu tinha tudo pra ficar arrasado com isso tudo, porque uns minutos antes o menino tava implorando por mim enquanto ele dava em cima de alguém que eu conheço e já fez parte da minha vida. Ele me acusou de traição durante 5 meses, e quem se provou um grande mentiroso e um traidor do mais baixo nível foi ele. Ontem eu finalmente entendi que ele tentava constantemente me diminuir e dizer que eu sou péssima pessoa, porque na verdade era ele quem fazia tudo isso e ele só estava projetando essas coisas em mim.
No final das contas, embora eu esteja muito triste, eu estou muito grato por ele ter estragado tudo e ter mostrado quem ele realmente é. Imaginem que merda se eu tivesse acreditado nele e voltado pra ele? Fico imaginando quantos chifres que eu levei durante esse relacionamento e fico muito feliz que todo esse abuso acabou.
Eu não estou contente, mas eu estou extremamente satisfeito que estou aprendendo a viver minha vida sem ele e me recuperando de um monte de merdas que aconteceram na minha vida (até antes mesmo de eu ter conhecido ele) ao lado dos amigos que se importam comigo e da minha família. Estou extremamente carente, mas eu nunca vou me submeter a voltar com alguém que me traiu dessa forma e ter esse conhecimento é tudo de bom, é libertador saber que quem mais apontou pra mim é a pessoa que mais fez as cagadas que falava que eu fazia.
Tudo isso pra eu dizer, meus amigos, que tudo bem sofrer por amor. Sua vida vale muito mais que um relacionamento abusivo ou alguém que te ilude. Se você ta malzão ou malzona porque seu amor te maltrata, te humilha, trai ou mente pra você, aprenda a se amar em primeiro lugar porque você tem potencial de fazer coisas incríveis! Onde há vida, há potencial.
Se você ta se sentindo sozinho se apegue aos seus amigos, se não tem amigos se apegue a sua família. Vai conhecer gente nova, às vezes perder uma pessoa nos faz sentir que estamos perdendo o nosso mundo, mas nós ainda teremos um universo inteiro para explorar.
submitted by niallwhore to desabafos [link] [comments]


2020.09.19 06:52 coisei Meu ex tá namorando

Hoje tive um dia bom, no final dele descobri q meu ex tá namorando e tô extremamente triste. A gente terminou de forma amigável e planejavamos ser amigos.
Não sei se tô triste por isso.
Talvez seja pq eu acho q os amigos que fiz na facul são pela conveniência de tá namorando com ele na época. Talvez seja por não entender q a vida continua. Talvez seja por eu ter me afastado dele como amigo tbm, não só como alguém que ele namorou.
Acho q errei bem muito nesse texto. Ele é ótimo em gramática.
Fico pensando sabe? Queria não ter namorado ele pra continuar próximo e amigo.
submitted by coisei to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 02:56 fcost9 Há um ano atrás tudo era diferente.

Já parou para pensar como tudo muda de um ano para o outro?
Comigo não foi diferente, lembro exatamente de tudo do ano anterior. Estava vivendo um dos melhores anos da minha vida.
Estava namorando com a mulher que eu nunca senti tamanha paixão parecida, daquelas que você chora de felicidade e sem explicação, aquele relacionamento que você sentia tudo diferente ao estar com a pessoa, e que com o seu abraço você literalmente se desconectava e ia para longe. O relacionamento que todo cara gostaria de ter, literalmente assim como o Chorão do CBjr descreveu a mulher na letra de 'Ela vai voltar'.
Além do meu namoro, da família que pude conhecer por parte da minha ex, que por sinal todos me colheram super bem, e fiz deles a minha família também. Pois eu passava um final de semana inteiro com as suas presenças.
Eu tinha também um grupo de amigos com um projeto entre nós muito legal, todos eramos bem unidos. Planejávamos o futuro como crianças na espera do coelho da páscoa ou do papai noel, todos ansiosos por cada passo que poderíamos dar.
Por fora tudo estava fluindo da melhor maneira de todos os tempos, mas por dentro da minha cabeça uma guerra sem fim acontecia. Uma mistura de sentimentos sem respostas, atitudes sem motivos, coisas que eu fazia que após de muito tempo eu me perguntei 'por que eu tive essa atitude?' 'por que eu fiz tudo da maneira mais difícil?' 'por que eu não falei a verdade sobre o que eu fiz antes e preferi mentir?' 'por que eu me confortava com uma atitude que não correspondia com o que realmente aconteceu?'
E de um ano para cá sem procurar ajuda eu perdi tudo e estou recomeçando do zero, como se eu chegasse em uma cidade nova e não conhecesse ninguém ao meu redor.
Esse post é tanto um desabafo quanto um toque para quem esteja passando pelo mesmo problema, problema no qual você faz tal coisa e nem sabe porque fez aquilo. Por que você preferiu mentir do que dizer a verdade.
Portanto, por mais difícil que seja para você, quanto foi para mim acreditar que algo de errado esteja acontecendo, pare e pense, e não deixe para procurar ajuda depois, depois de perder tudo. Procure ajuda psicológica, se cuide, valorize-se e também valorize quem está ao seu redor. Ame, mas também se ame, se cuide e não cometam o mesmo erro que eu tive por teimosia minha ao achar que não era nada.
Não digam não ou mintam caso esteja tudo bem, pois no fim não está. E principalmente não recusem conselhos de quem sabe o que está acontecendo.
Sejam felizes e acima de tudo sejam psicologicamente saudáveis.
submitted by fcost9 to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 08:18 Krahmukoslovisk Término, mestrado e mudança de vida

Ano passado me formei em veterinária e próximo ao fim do curso tive episódios de depressão e ansiedade por conta de dois professores que fizeram questão de me atormentar a paciência. Na época estava namorando e isso afetou muito minha relação, porém seguimos o namoro. Tivemos vários momentos de "vai e volta" primeiro por que estávamos morando muito longe um do outro (ela em Curitiba e eu interior do espírito santo) e segundo porque não tínhamos grana pra nos vermos . Ela estava em final de faculdade também, os pais dela não ajudavam em quase nada e acabei me endividando pra ajudar ela a pagar alguns cursos. Com a pandemia tudo ficou pior, eu trabalhava em um consultório, onde aparecia paciente 1 vez por semana as vezes nem isso, quando chegavam reclamavam do valor da consulta e exames ( 50 conto de hemograma e 90 de consulta) estava me sentindo o Julius de todo mundo odeia o Chris, tava pagando pra trabalhar no meu primeiro prego fixo. As coisas foram piorando no namoro até que decidimos terminar, há uns 2 meses, e ao mesmo tempo passei no mestrado em uma universidade particular, consegui um emprego descente, estou morando sozinho. Estou estagiando no hospital em horário comercial, assisto aulas a noite e pego plantões todo fim de semana para não me sentir sozinho e com saudades da ex (que aliás ainda amo). Meus amigos das antigas estão com suas vidas encaminhadas e fazendo planos e marcando roles, meus colegas daqui não me chamam pra assitir um filme se quer. E estou com medo de voltar aos tempos sombrios. Obrigado por lerem até aqui, se é que tem alguém que leu. Precisava falar pra alguém.
submitted by Krahmukoslovisk to desabafos [link] [comments]


2020.09.09 04:41 kriskastro Cada vez mais quebrado e tentando juntar os cacos

Gente, já li de tudo por aqui e adoro os temas sobre relacionamento. Dessa vez chegou a minha vez de desabafar. : PS: Sorry pelo textão, mas é que eu preciso externar um pouco de tudo pra ver se me serve de alguma coisa.
Já não sou mais um adolescente, mas também não chego a ser já um adulto de meia idade; mas tá perto rs. Tenho 27 anos, já beirando os 28. Nunca engatei definitivamente em um relacionamento sério e nem sei se sou preparado para isso efetivamente, serio mesmo. Minha família é meio fudi* sobre relacionamentos. Pais separados, confusões aqui e ali e até pelo que pude perceber sobre os que estão além dos meus pais, digo tios e tias, a situação não é muito animadora ou exemplar. Enfim, sinto até que de alguma forma por não ter bons exemplos ou referências em casa isso de alguma forma pode ter me afetado, me travado, ou até mesmo me ter deixado com um certo nível de ansiedade/panico. Sei lá. Moro com a minha mãe ainda e meu irmão mais novo.
Sou uma pessoa que simplesmente não sai e resolveu viver isolado na sua própria bolha; diria até que com poucos amigos próximos, digamos assim... (sabe daqueles que você pode literalmente contar com eles para o que der e vier? Pois é.). Já sou formado, pago as próprias contas, ajudo até de certa forma a segurar ainda a estrutura financeira abalada em casa. SIM, meu pai era o provedor do dinheiro como toda "família tradicional" brasileira; mas hoje me dia minha mãe já tem a fonte de renda dela que se complementa com a minha. E meu pai acho que ainda ajuda só por conta do meu irmão mais novo mesmo.
Enfim, sinto que o tempo vai passando e passando e a maneira como eu vivo hoje me incomoda. Não quero ter esse papel de "pai provedor" da família que eu ainda não tive, se é que me entendem. Sinto que preciso mudar e sair dessa zona de (des)conforto, mas ao mesmo tempo vivo um dilema entre a responsabilidade para com aqueles que estão comigo e a vontade de construir algo meu, a minha própria história. Agora assim, sair de casa pra (sobre)viver e ficar a ver navios é foda, até pq a vida sozinho é bad trip total. Nessa parte, já quero introduzir o tema o relacionamento que até então são inexistentes; penso que de alguma forma quando você tem alguém que vale a pena você lutar para que as coisas deem certo, e obviamente a pessoa também queira, de alguma forma os dois conseguem encontrar alguma felicidade em meio a tudo, mesmo diante das dificuldades.
Mas vamos lá que já estou é divagando aqui. Sobre relacionamentos: sou uma pessoa extramente fechada. Não saio. Como disse, sou de poucos ou quase nenhum amigo próximo. Não considero conhecidos ou colegas de trabalho como alguém que se pode contar muito, sabe. Obviamente pra não pirar da batatinha, pelo menos cresci aderindo ao hobby de jogar video games pra aliviar um pouco o estresse e até a deprê - na verdade herdei esse hobby da adolescência e acho que os sentimentos meio depressivos também. Tenho ps4 que mal jogo hoje em dia, mas ainda me divirto um pouco no pc com uma galera muito massa no lol kk. SIM. 27 anos jogando ainda League of Legends. Mas voltando... pra piorar um pouco, tenho de certa forma uma atração, ou sei lá um imã, pra garotas que são bem peculiares, digamos assim.
O meu primeiro contato na adolescência que talvez pudesse ter rendido um relacionamento foi com uma garota que conheci no Tinder. Eu deveria ter uns 17 anos mais ou menos. Nem tinha entrado na faculdade. Ela era gata e inteligentíssima, mas não me recordo o nome dela. Sente o drama: depois de semanas conversando e praticamente se descobrindo quase que nascidos um pro outro, ela me revelou que fazia tratamento para câncer e já faziam anos e mais anos na luta. As fotos dela eram de peruca, sabe. Tanto que depois de semanas ela começou a me mostrar as fotos já carequinha. Ela morava no interior e vinha de tempos em tempos aqui pra cidade fazer o tratamento dela. O namorado dela a deixou depois dessa bad trip. Enfim, um negócio pesadíssimo. Quase como A culpa é das estrelas. : O tempo passou, coisas aconteceram, a vida foi entrando numa velocidade frenética. A faculdade chegou, as provas, os semestres, os estágios, a rotina maluca e simplesmente fomos aos poucos deixando de nos falar e eu simplesmente não sei o final dessa história. Mas me arrependo quase que amargamente de não ter ido conhecer ela pessoalmente independente do desfecho.
Na faculdade, me apaixonei por uma garota. Mas nem vou me alongar muito. A thread da facul: depois de anos estudando juntos, me declarei pra essa garota e para minha surpresa uma amiga nossa em comum também fez a mesma coisa. A garota da história é bi e eu tinha total consciência sobre isso, mas só fiz o que meu coração mandou. Enfim, esse negócio não foi nem pra frente e nem pra trás. Nem eu e nem a nossa amiga em comum ficou/namorou essa garota. Mais uma vez o tempo foi passando e passando... até que terminei a faculdade e até onde tive notícias, hoje a garota que eu era apaixonado está namorando um cara aí. Enterrei esse amor e deixei o tempo cumprir o papel dele. Aconteceram outras coisas na faculdade também entre eu e uma outra miga, mas nem vou comentar pq não vem ao caso, simplesmente não era para ser e pronto e o pior é que até transa sem camisinha rolou kk #medo, mas calma que teve pilula e teste após isso. Então, nada de filhos não programados. Amém.
Após a facul e agora sim em um tempo mais recente. No trabalho, há uns dois anos atrás descobri que uma garota era perdidamente apaixonada por mim. Isso era novidade pra mim que já estava acostumado só com amor não correspondido, mas o drama aqui é que eu simplesmente não sentia a mesma coisa por ela. Olha só que ironia, não? Isso é foda, pq eu sabia como era gostar de alguém e isso não ser recíproco. Mas enfim, a garota foi demitida e com a demissão acho que foi-se qlq esperança de se construir algum amor - isso para os que acreditam que esse trem é construído tijolinho, por tijolinho. Eu só simplesmente não sei como funciona, desculpa.
Há seis meses atrás ou até mais, meu coração resolveu bater mais forte por alguém mais uma vez. Mais uma coisa que simplesmente não sei o pq diabos acontece, mas já aceitei que a vida é assim. Ela é uma colega de trabalho. O tempo passou, ficamos íntimos, conversamos muito, mas muito mesmo sobre absolutamente tudo. Literalmente tudo. A pandemia chegou e até hoje estamos de home office :p. O drama aqui é que eu resolvi me declarar para ela. Abri o jogo. Coloquei as cartas na mesa e joguei para ver o que iria dar. Como resposta tive um surpresa e um desagrado ao mesmo tempo. A surpresa foi em saber que ela se preocupa comigo tanto quanto eu me preocupo com ela, mas amigos... o sentimento que temos um do outro é bem diferente. Infelizmente! Ah e o drama aqui não vou entrar em muitos detalhes, mas a thread só não chega a ser pior do que a minha primeira história e a segunda. Talvez seja pior que a segunda. Envolve uma infância bem conturbada da parte dela, abusos do pai e até relacionamentos abusivos de ex. Mas como disse, não vou entrar em detalhes. Enfim, essa semana tive a noticia de que ela está com um cara ai e é isso, amigos. Mais uma vez quebrei-me em mais um monte de pedaços antes mesmo de saber o que é um relacionamento.
Agora assim, sabe o que é o pior de tudo? A sensação de baixa-autoestima que você acaba criando e acho que até uma certa ansiedade/nervosismo ou sei lá o que. Um sentimento quase como: qual é o meu problema? Será que eu não sou uma pessoa interessante? Estou fora do padrão do que costumam encontrar por ai? Enfim, neuroses que nem vale a pena perder tempo pra não cultivar bad trips. O tempo só vai passando e não há nada que eu possa fazer a respeito a não ser aceitar que as coisas são como são e pronto. E que simplesmente não sirvo para relacionamentos. Talvez isso me conforte de alguma forma.
submitted by kriskastro to desabafos [link] [comments]


2020.09.07 20:56 soulandthesea acho que ter levado um pé na bunda foi a melhor coisa que me aconteceu

então, meu namorando de 2 anos terminou comigo faz duas semanas.
e doeu (dói ainda, pra falar a verdade). mas ao mesmo tempo eu to tão mais... tranquila, calma, em paz. ele me estressava, me dava ansiedade. o apartamento que a gente dividia agora é só meu, e não tem mais sujeira e lixo dele em todos os cantos. agora tá tudo limpinho, cheiroso, bonito. do jeito que eu gosto.
comprei um sofá novo e umas pinturas pra parede. transformei o escritório dele em um walk in closet pra mim. durmo com meu gato no meu travesseiro, coisa que ele nunca deixava porque não gostava de bicho na cama. posso fazer xixi com a porta aberta sem ter vergonha. tá sendo ótimo.
nunca mais vou namorar alguém que não "conseguia ver um futuro comigo". nunca mais vou me fazer menor pra não intimidar homem. aprendi o meu valor, sabe. minha terapeuta quase bateu palma quando eu disse que a gente terminou e não ia voltar.
to saindo bastante com amigos e acho que vou começar a fazer aula de italiano. tenho ido bastante a academia e até uns problemas autoimunes de saúde que eu tenho tão melhorando porque não tenho mais estresse. que sorte a minha sair desse relacionamento antes que ficasse mais sério e eu me machucasse ainda mais.
adoro esse sub porque moro no canadá há 12 anos e meu ex-namorado não fala português (e eu sei que ele lê e dá upvote em todos os meus posts). vou ficar bem e sarar e to animada pra uma vida focada em mim, sem viver pros outros :)
submitted by soulandthesea to desabafos [link] [comments]


2020.08.30 15:46 Luckman28 Decepcionado: Várias decepções com ela como namorada e agora mais uma com ela sendo Ex

Conheci uma mulher cerca de 4 anos atrás e no momento em que a conheci percebi que queria algo sério... Além de ser gentil, bem humorada e muito bonita, ela fazia eu me sentir bem e querer tê-la por perto, porém mal sabia eu que eu estaria entrando em um namoro onde eu seria a pessoa que sofreria de um relacionamento abusivo sem nem perceber que era abusivo e agora após me libertar disso, a pessoa continua a me decepcionar.
[Resumo (quem quiser ver as decepções é só pular o textão)] Ficamos juntos durante quase 3 anos, iniciando namoro 1 mês após termos nos conhecido (maio/2016 até dezembro/2019)... Na época que eu a conheci fiquei cego, deixando de lado relacionamentos com amigos de longa data, cortando laços com as pessoas que eu estava ficando e inclusive me afastando de minha própria familia... Tenho 28 anos, não me considero feio, sou formado, pós graduado, fluente em inglês, tenho carro sedam do ano, apartamento, sou músico com formação, acho que sou esteticamente bonito, trabalho em uma startup tendo um cargo de confiança e um salário bem acima da média... porém eu não ligo para nada disso, apesar de ser algo para me gabar, poucas pessoas sabem dessas coisas que alguns consideram qualidades, e não, não sou filho de papai, sou da periferia e batalhei muito para chegar onde estou, enfim.
Durante o início do namoro tudo eram rosas, até que as primeiras brigas e discussões começaram a acontecer e eu vi quem realmente ela era... Resumindo bastante o que rolou: já fui agredido, ela era extremamente ciumenta, tinha que vê-la todo dia da semana, recebia xingamentos, ela dizia coisas para me ferir de propósito, extremamente criticista, mentirosa e manipuladora... Eu praticamente virei um capacho dela. Ela não possui muitas condições financeiras e eu por ja ter conquistado uma certa estabilidade a ajudei e de diversas formas: de meia, eletrodomésticos, pagar faculdade e dar celular até viagens internacionais (sem cobrar 1 centavo dela), podem imaginar quaisquer outros mimos, dentro desses parâmetros... E não fiz para contar ao mundo, fiz porque a amava e queria que ela tivesse o maior conforto do planeta e ficasse feliz.
[decepções] Durante o namoro as decepções que acumularam giram em torno de ela ter mentido várias vezes, descobri através de um amigo que ela mantinha contato e enviava mensagens e fotos a ex namorados (um dos motivos que levaram ao término), descobri também que aparentemente só eu amava nesse relacionamento, que o motivo de ela estar comigo era puro interesse e porque para ela o namoro era cômodo.
Agora nessa pandemia ela voltou a ter contato comigo, me mandando mensagens constantes dizendo que queria voltar, aparentando ter mudado, pedindo desculpas e tudo mais, porém ontem eu descobri que ela está namorando há um bom tempo e mesmo assim ela tem agido com o atual dela da mesma forma que agiu durante o nosso namoro... Simplesmente perdi meu chão em saber que ela estando já com alguém ela tem me enviado mensagens querendo voltar, além de ter me pedido dinheiro emprestado (não emprestei), pedindo conselhos e me chamando para sair!!! O pior de tudo isso é que ela não me falou que está namorando com alguém ou seja estava querendo me usar, está usando outra pessoa e ninguém estava sabendo de nada!!!! (Agora eu estou, o cara lá eu não sei)
É triste saber que alguém dessa forma existe e mais triste ainda é por eu ter me envolvido com alguém assim.
submitted by Luckman28 to desabafos [link] [comments]


2020.08.20 05:49 muphax Descobri que meus amigos falavam mal de mim pelas costas

Eu já relatei alguns problemas com amizades aqui no desabafos, e hoje eu vejo o quão tolo eu fui em acreditar que eu era o erro e que nada acontecia sem meu conhecimento. Peço para que se contextualizem da situação com esse post, já que vai acabar sendo o desfecho - ou continuação - da história.
Depois da briga pelo kilt, um dos meus amigos foi falar comigo pedindo desculpas pelo surto. Até então, eu tinha decidido cortar as relações com os dois, já que dessa vez me impus e fiquei indiferente se eles iriam aceitar minha explicação ou não.
Acontece que depois de alguns dias, esse mesmo amigo que me pediu desculpas, me mostrou conversas, fotos e audios do meu outro amigo debochando, falando mal de mim e me expondo pra algumas pessoas. Nisso estão inclusos distorcer coisas que falei do meu ex namorado, me fazer parecer egocêntrico para outros, dizer que sugo a felicidade dos meus amigos e etc.
Claro que dentro desses acontecimentos tive culpa de alguns deles, e tal como me resolvi com um dos meus amigos, me resolvi com todos aqueles que eu tinha pendências, aparentemente deixando tudo bem.
Ainda assim essa pessoa continua a distorcer coisas sobre mim. Descobri que ela diz aos outros que eu forço amizade, já falou mal de mim para um cara que eu quase estava namorando e agora descobri que fala mal de mim até para pessoas que eu não conheci ainda então se tornou bem comum eu conhecer alguem e a pessoa já ter uma má impressão.
Tentei me distanciar, de unfollow nas redes, mas ainda assim ela continua me provocando. Não sei se não me importar seja a melhor alternativa, mas estou tomando coragem pra mandar mensagem pra ele amanha para ao menos pedir para parar de falar de mim.
Precisava desabafar, é algo que está sugando minha energia há alguns dias, porque por mais que eu não seja perfeito, eu também não sou o monstro que ele prega.
submitted by muphax to desabafos [link] [comments]


2020.08.16 17:28 Henriquemfd Não sei oq eu sinto

Ano passado,eu me declarei para a minha melhor amiga,falei q precisava de um tempo e q n queria sentir isso por ela.Logo após,um mês(Janeiro) nós voltamos a se falar e ela disse "Não é um sim,mas tbm não é um não".E por oito meses continuou a me enrolar,e como ela era meu primeiro amor eu cai,já q nunca tinha passado por isso. Em abril/maio ,nos ficamos pela primeira vez,oq me deixou mais apaixonado,pensei q tava conseguindo conquistar ela,mas n Até que teve uma festa q essa menina foi, e ficou com o meu melhor amigo,q sabia q eu amava ela,então parei de falar com os dois.Mas isso n durou nenhuma semana,pq eu era trouxa.Só q essa menina começou a ficar serio com outro,ai eu tive q tentar superar,mas sem perder a amizade,até q no aniversário dela eu fiquei com uma outra amiga minha,e quando ela soube,diz ela q comecou a chorar por eu n estar com ela(ela estava com o ficante)entao está foi a última gota,falei q precisava de um tempo e me afastei. Agr q estou me reaproximando do meu ex-melhor amigo,descubro q ele e a menina estao namorando,e ele ta me instigando a chamar ela de volta,quero q felicidade dele acima de tudo,e tenho medo se eu voltar a falar com ela de me apaixonar dnv,oq eu faço?
submitted by Henriquemfd to desabafos [link] [comments]


2020.08.12 18:13 psicopatola Room mate e namorado sem noção

Oi gente. Tenho 25 anos e estou morando com uma menina que conheci através de amigos desde janeiro. Vamos chamá-lo Bruna. No começo eu e Bruna nos dávamos super bem, conviviamos super bem, não tinha porque discutir. Em fevereiro finalmente consegui me livrar de um relacionamento em que eu sempre fui muito trouxa, muito mesmo. Desde então eu estou numa fase de viver minhas coisas, trabalhar, ver o que eu gosto e o que não gosto e a Bruna tem sido super parceira nesse sentido. O problema é que Bruna namora o Neymar. Esse relacionamento dos dois acontece há quase três anos, de uma forma um pouco bizarra. Bruna sempre quis namorar Neymar, mas ele parece que nunca quis muito, então eles começaram a ficar e um dia ela avisou que eles estão namorando. Nesse tempo de relacionamento, ela não conheceu ninguém da família dele, não sabe nem o nome de nenhum parente dele, não conhece nenhum amigo, nada. Ela nunca foi na casa dele. Descobriu onde ele mora porque um dia em uma conversa ele deixou escapar algo que dava pra entender onde era a casa dele. Então ela jogou esse endereço no Google e viu a casa dele pela vista do Google maps. Ele já foi casado com uma mulher e tem uma filha de 5 anos. Direto Bruna descobre que menino Ney viajou com a ex esposa e a filha pra um casamento da família da ex esposa. Ele não conta nada disso pra ela e ela não se sente autorizada a perguntar, pois tem medo de perder ele. Onde eu entro nisso tudo? Agora na pandemia, ele tem vindo aqui em casa uma vez por semana porque ele trabalha aqui perto. Ele fica tipo uma ou duas horas, entao ele diz que não compensa tomar banho e nem troca de roupa. Fico igual louca passando álcool nos lugares em que ele encostou. Me incomoda demais ver ele vindo aqui em casa, sendo mega irresponsável, colocando Bruna e euzinha em risco. E além disso, como comentei ali em cima, sai de um relacionamento em que eu era mega trouxa tem muito pouco tempo. Ver alguém sendo trouxa desse jeito, tão perto assim, me lembra coisas muito ruins que já vivi. Não adianta conversar com ela. Ela vai "lutar pelo relacionamento". O que eu faço? Já tô ficando num ranço absurdo de Bruna e menino Ney
submitted by psicopatola to desabafos [link] [comments]


2020.07.30 20:23 Jaozim_capixaba_VV Frustração sexual e puritanismo. A má influência da igreja e como ela tem afetado a vida sexual de jovens da sociedade

Edit: aproveito para deixar 2 subs sobre o tema:
exchristian e exReformed (em inglês)

Vou falar sobre meu passado religioso e como isso afetou minha vida sexual.
Exemplos deste puratinismo pode ser visto em blogs como https://naomordamaca.com/ que foi um dos principais sites que eu seguia na adolescencia para buscar a abstinência sexual e me reservar para "a minha escolhida".

As frustrações sexuais são sintomas e não uma causa.
Estes sintomas, incluem a falta de atenção afetiva, de poder se abrir e ser falar com honestidade os seus sentimentos para outra pessoa, de se sentir desejado/a de ter contato físico, carícias e até sexo.
Pode ser que existam diversas causas que levem as pessoas a se isolarem deste tipo de intimidade. Se trancando em suas conhas e criando assim a frustração.
Vou citar um exemplo que destas causas que perdurou por quase toda a minha via (tenho 28 anos)
Para mim, a causa foi ter sido criado em um lar extremamente religioso que moldou minha visão de que sexo (fora do casamento) é pecado, sujo e imundo. Além disso sofri anos de abuso emocional por parte dos meus pais (e ainda sofro com isso).
Uma vez que alguém se encontra em uma situação dessas, é difícil arranjar uma solução fácil. Tem gente que vai pras drogas e sexo/vida loka, mas que acaba sofrendo por que, pra falar a verdade, sexo não é tudo. o que a pessoa buscava era uma alguém que a aceitasse por completo.
Outras pessoas, como eu, passam a se reclusar e a lutar fortemente contra estes instintos sexuais e a negar a própria vontade.
É tipo como você se obrigasse a fazer um jejum intermitente. Exemplo: "comer apenas uma refeição por dia por 5 anos seguidos".
Certamente será danoso para o corpo, vc vai ficar fraco, zonzo, ter anemia, pior desempenho e tudo mais.
Exceto pelos religiosos mais "birutas" (desculpe se ofendi) ninguém vai ficar 5 anos fazendo este tipo de jejum.
Então, voltando ao meu caso (que certamente é compartilhado por algumas pessoas com frustração sexual):
Ao ser criado neste ensino religioso Eu aprendi que:
Isto sem falar nas outras áreas da vida (mas este post já tá gigante)
Observando estes pontos, qualquer um consegue entender por que eu nunca namorei e nunca fiz sexo.
Esta vontade não era minha. eu tinha desejo de buscar felicidade ao lado de uma mulher.
Esta vontade foi imposta a mim (e vários outros jovens da minha igreja. Muitos, ainda virgens e com a minha idade).
Foi inculcada na minha cabeça. Foi uma lavagem cerebral. Também foi defendida por minha mãe.
Logo, eu, com 16 anos, tinha medo de namorar e correr o risco de levar esporro de meus pais. Eu não tinha coragem de levar uma garota pra minha casa. Na verdade, eu raramente levava amigos pra minha casa (mas aí é por causa de outros problemas).
Nestes ultimos 4 anos, eu comecei a mudar
Primeiro, eu fui perdendo a fé nas coisas da igreja de pouco a pouco.
Por incrível que pareça, o motivo não era as coisas que escrevi acima. Eu perdi a fé justamente por ler a bíblia, orar e por ir nas atividades da igreja.
Com a gradativa perda da minha fé. de pouco a pouco, fui reavaliando minhas "filosofias de vida" e todos os conceitos que eu tinha. mutos desses novos conceitos eu adquiri por mídias (livros, tv, algumas músicas) e graças a algumas comunidades no reddit.
Um dos conceitos passados que eu perdi, foi essa "pureza sexual"
Teve várias influencias para isso, mas o anime Dororo (2019) tem uma cena realmente chocante e que me fez realizarr o quão estúpido é isso de dizer que uma mulher que teve vida sexual ativa é nojenta e impura. (mas vou evitar os spoilers)
Presente:
Neste ano, entrei em um grupo do Discord que tinha acabado de ser criado. Grupo pequeno. razoavelmente fechado e certamente seguro (ou seja, tolerancia zero contra trolls)Neste grupo, a galera conversava sobre o tema principal, mas também tinha canais para publicar fotos/selfies em geral.
Decidi publicar uma selfie lá.
Passado uns dias, uma garota de lá disse:"Achei seu cabelo lindo! seria muito estranho se eu dissesse que quero passar a mão nele?"
Aí com mais um tempo de conversa, a gente começou a namorar.
É namoro a distância? é!
Pode ser que dê em nada? Sim! (Foda-se!)
Mas depois de todos estes anos me repreendendo, tentando fugir da realidade. Todos estes anos fugindo dos meus desejos...Eu finalmente estou namorando, me abrindo com uma garota, e vendo ela se abrir comigo (no sentido emocional).
Sinceramente. Estou feliz! Me sinto motivado!Quero mudar pra onde ela mora!
(Na verdade eu já planejava mudar pra lá, Mas agora estou bem mais motivado)
submitted by Jaozim_capixaba_VV to desabafos [link] [comments]


2020.07.29 20:42 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

(Postei primeiro no desabafos, mas resolvi postar aqui também)
O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.
Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.
A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.
A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha
Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to sexualidade [link] [comments]


2020.07.29 20:24 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.

Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.

A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.

A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha

Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to desabafos [link] [comments]


2020.07.27 04:02 Enigma_Machine1 Odeio gatos

Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que, por mais que eu odeie/não me sinta confortável perto de gatos, eu jamais prejudicaria eles fisicamente, mesmo tendo muito vontade (erroneamente, claro - talvez vocês "entendam com o meu relato). Não é disso que o desabafo se trata.
Esse é um relato meio longo.
Eu nunca convivi com gatos. Sempre cresci com cachorros em casa, tive um que me acompanhou desde a época da escola até terminar a faculdade. Amei muito ele, hoje tenho outro, um resgatado, que amo muito. Sempre amei cães, passei mais anos da minha vida com cães do que sem.
Por ter rinite alérgia, eu nunca cogitei ter um gato. E, antes de conviver com eles, eu não sabia dessa minha apatia gigante por eles. Esteticamente, até acho alguns fofos etc, mas também nada demais, longe dessa "loucura" que algumas pessoas sentem por eles.
Passei a ter um convívio maior com gatos através de uma das minhas primeiras namoradas. Ela tinha 3 gatos. Eu era bem novo, ela morava em uma kitnet, então 3 gatos já era bastante coisa. No geral eles até que eram comportados, mas lembro que acabaram estragando algumas coisas minhas (mochilas principalmente) e isso me irritava muito. Sem contar a rinite, que me deixava ainda mais irritado, mas na época eu pensava que era por estar um cômodo de uns 25m2 no máximo, sem ventilação adequada.
Eu namorei pouco menos de 3 anos com ela e foi durante esse período que a minha irritação com gatos aumentou. Uma das gatas SEMPRE dava o jeito de fugir do apartamento dela pro corredor e pro jardim que tinha no prédio. Minha ex me ligava e eu tinha que ir correndo ajudar ela a pegar a gata que, eu não entendo, morria de medo quando saía da casa (pra quê sair então, né, porra?), então era foda pegar ela, se enfiava em cada canto filha da puta de alcançar.
Os outros gatos eram um pouco mais de boa, mas a quantidade de pelos que deixavam pelo apartamento dela era um absurdo. Nem passando aspirador 2x por dia parecia que fazia alguma diferença. Minha ex não ligava, mas me incomodava ver eles estragando todos os móveis que ela tinha. Era o box da cama todo arrebentado (mesmo eles tendo arranhador), não podia ter uma única peça de decoração sobre uma mesa ou estante pois sempre derrubavam e quebravam, tinha que deixar a tampa da privada sempre abaixada pois eles davam um jeito de subir nela e não conseguir sair (burros). Até na cozinha, eu queria preparar algo pra comer e tinha pelo em tudo, mesmo se a gente limpasse.
Eu não diria que minha ex dava liberdade total para os gatos, na verdade ela sempre foi pé no chão com isso, várias vezes se irritava com a encheção de saco deles também (pra dormir principalmente - como era uma kitnet, não dava pra deixar em um cômodo separado, então era 3 da manhã e vinham encher o saco pedindo ração sendo que a porra do pote tava 90% cheio).
Enfim, terminei com ela mas o ranço pelos gatos ficou. Depois disso só tive namoradas que tinha cachorros ou então nenhum pet. Avancemos alguns anos para os dias de hoje.
Estou namorando há quase dois anos, já tenho planos de morar junto com a minha namorada, nos amamos muito e nos damos super bem. Além da parte romântica, temos um companheirismo e uma amizade muito boa, sempre apoiamos um o outro. Claro que já tivemos brigas, eu tenho os meus problemas e ela os dela, mas nada que não conseguimos superar na base da conversa. O único problema é que ela tem 6 gatos.
Recentemente, passei uns 20 dias quarentenado no apartamento dela. Está longe de ser uma kitnet, mas pra 6 gatos eu considero um lugar pequeno.
Eu tive, é claro, todos os problemas com minha rinite, mesmo tomando remédios de 8 em 8 horas pra aliviar. Se os três gatos dessa minha ex davam trabalho, o dobro deles é muito, muito pior pra mim.
Gente, nesses 20 dias eu vi cada coisa que me irritou pra além do limite. Obviamente que não demonstrei isso, mesmo ela tendo plena noção que pra mim bicho é bicho, humano é humano (eu não mimo meus bichos, trato meu cachorro super bem, mas longe de mimar com coisas que acho frescura, tipo dar banho dia sim dia não, fazer comer só T bone australiano ao molho de ervas finas, essas merdas - ele come ração, petiscos e de vez em quando frutas, só). Eu estava na casa dela, regras dela. Só que por amar tanto gatos, e mimar eles, na minha opinião, ela dá carta branca pra eles fazerem o que quiserem, sem consequência nenhuma (nunca dá bronca, não impõe limites).
Somente durante esse período: um dos gatos resolveu afiar as unhas no meu tênis novo (só não estragou pois percebi logo nos primeiros dias e depois escondi - mas encheram eles de pelos em algumas horas, eu não sei como); um outro escolheu a mochila velha da minha namorada pra vomitar bem em cima, cheia de coisa dentro. E não foi pouco. Outro gato afiou as unhas na mochila novinha dela e já arranhou uma parte dela. Tinha literalmente acabado de chegar, ela só colocou no sofá por um instante pra arrumar outras coisas e foram lá estragar.Um outro gato você não pode nem se mexer que ele se assusta, sai correndo e derruba tudo o que vê pela frente.
Eu levei meu notebook pra poder trabalhar. Deixava ele guardado quando não usava, claro, mas enquanto trabalhava, faziam questão de ficar se esfregando nele, enchendo de pelo, queriam subir na porra do teclado toda hora, tiraram ele da tomada umas 3x enquanto carregava e um dia desligaram ele no meio de um trabalho (eu estava distraído e deixei o note uns minutos de lado).
De noite era outro pesadelo. Obviamente eu não deixava nem conseguiria dormir com a porta da suíte aberta, com os gatos circulando, pois a minha rinite simplesmente me mataria. Mas é só fechar a porra da porta que começam a raspar aquela merda. Era a madrugada inteira assim, sem contar aquele miado irritante pra caralho, incessante. Puta que pariu, eu juro que me dava vontade de abrir a porta e dar um chutaço no gato no calor do momento. Claro que não fiz isso, mas a vontade realmente existiu. Pior que nem assim acho que adiantaria. E sim, já tentamos de tudo. Aqueles produtos que supostamente repelem os gatos com cheiros ruins, arranhador, tudo - só não tentei adestrar pois não moro lá e, tirando a exceção da pandemia, eu só fico no apto dela aos finais de semana, ou então ela fica no meu, enão meu convívio com os gatos nunca passou de umas 48h, o que era suportável e não exigiria adestramento. Sem contar que acho que nunca vi na vida um gato que obedece o dono.
De manhã era sempre a mesma merda. Algum gato sempre deixava um vômito de presente em algum lugar da casa. No sofá, na cozinha, em cima da mesa. Parece que escolhem sempre o pior lugar possível pra isso.
Nem preciso falar como são os móveis da casa, não? Zero decoração pois derrubam tudo. Sofás arrebentados. Toda hora pegavam coisa do varal e derrubavam. Mesma coisa com toalhas nos boxes dos banheiros. Eu tinha que me preocupar com meu note toda hora, as vezes queria só pegar algo na cozinha e tinha que esconder ele só pra não pegarem.
"Pote de comida está semi-cheio, tendo ração pra caralho? Vou derrubar ele e espalhar ração pela casa pq quero ver ele cheio sempre. A caixinha de areia tem UM cocô? Vou ficar miando o dia inteiro até alguém limpar isso, pra depois eu sair andando e não fazer as minhas necessidades. Quer ir tomar banho? Vou entrar no banheiro com você, mas no mesmo segundo que você ligar o chuveiro, vou ficar enchendo o saco pra sair. Quer dormir? Vou ficar miando na porra da porta. Quer almoçar? Vou subir na mesa e ficar te batendo com a pata pra me dar comida, pra quando você oferecer, recusar, sair da mesa, voltar em 2min e pedir comida de novo. Abriu o armário pra pegar algo? Vou entrar aqui sem você ver, deixar que feche a porta, depois vou ficar miando e, quando perceber que ninguém vai me ajudar, vou começar a ficar com medo e tirar todas as roupas do cabide. Me pegou no colo pq tô faznendo merda? Vou te arranhar e morder pra caralho (unhas cortadas, pelo menos isso). Tá concentrado vendo TV/jogando/mexendo no pc? Foda-se, vou ficar na frente da tela e se me tirar eu entro na frente de novo. Tá de boas na cama/sofá? Vou pular em cima de você do nada ou te usar como apoio pra pular em alguma outra coisa, foda-se se te assustar."
E acho que o que mais irrita é que, nem mesmo com a minha namorada, eles parecem ligar. O máximo de afeto que eles dão é sentar no seu colo, e mesmo assim tenho as minhas dúvidas se isso é uma demonstração de afeto mesmo.
Eu não sei se é o número de gatos que me deixa puto, ou se eu suportaria se fosse apenas um. Mas na real, eu não consigo gostar desses bichos. Pra mim são seres filhas da puta, egoístas, burros (não aprendem/não querem aprender nada no sentido de adestramento), nem um pouco carinhosos, estragam absolutamente tudo o que você coloca pela frente, ou seja, você vive em função deles e não tem nada em troca, pelo contrário, só despesas. Na minha opinião, viver com gatos é viver em uma prisão onde você precisa satisfazer a necessidade deles 24h por dia.
A minha única tática que funcionou durante esses dias foi a seguinte: spray d'água e espírito de porco. Se eu via algum deles fazendo merda, já corria com o spray e borrifava na cara deles. Isso me dava uns minutos de sossego, pois eles se assustavam e ficavam num canto sem encher o saco. Tem dois gatos que eram os mais folgados (80% do que comentei foi obra só deles). O que eu fiz? Enchi mais o saco deles do que eles o meu. Pegava eles no colo a cada 2 min - coisa que eles odeiam - e ficava um tempo com eles assim, até começarem a miar que estavam irritados. Eu soltava, esperava eles se aconchegarem e pegava eles de novo. No final desses 20 dias, era suficiente eles me verem pra saírem do meu caminho. Se faziam merda, eu simplesmente aparecia na frente deles e eles saiam correndo. Fiquei satisfeito pois sei que consegui controlar um pouco eles sem violência nenhuma (o que é algo deplorável e eu jamais faria, mesmo o meu ódio por eles "pedindo" isso - eu não teria coragem).
Eu só penso que, a bem da verdade, nem isso seria o suficiente pra mim a longo prazo. Eu tive que entrar em um estado de alerta 24h por dia pra borrifar o spray/encher o saco deles e eu não conseguiria viver assim por muito tempo. Meu asco por gatos é tão grande que é só ouvir algum miado que já fico irritado.
Eu imagino que a maioria aqui vai falar que não é bem assim, que nem todo gato é assim. Pode até ser, mas todos os que conheci são esses infernos na terra. Todo amigo meu que tem gato tem alguma história do tipo. De quebrar coisas caras, de machucar pessoas, sem contar que gatos são extremamente nocivos ao meio ambiente, o que eles matam de pássaros e outros animais não é brincadeira.
Sei que cães também podem fazer coisas assim, mas cara, nem mesmo o cachorro mais "destruidor" que tive chegou nesse nível. O máximo que ele fazia era mijar em lugar errado e latir quando eu ia comer.
Enfim, fica aqui o meu desabafo. Deve estar meio desconexo pois escrevi no calor do momento, conforme ia lembrando das merdas que eles fizeram. Me sinto meio peixe fora d'água postando em um site que idolatra gatos, o reddit, mas está aí.
submitted by Enigma_Machine1 to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 01:08 ApenasEuzinha Por que isso doí tanto?

Olá pessoal, é a minha primeira postagem aqui, eu meio que só fiz uma conta no reddit para desabafar sobre isso.
E lá vem a história, eu sou um fracasso quando o assunto é interação social, eu tenho dificuldades em fazer amigos e de falar com as pessoas, porque eu sou bem tímida e bate uma ansiedade quando eu vou falar com alguém que eu não conheço.
Mas eu tenho alguns amigos e sou feliz com isso, mas a história em questão é sobre o primeiro relacionamento romântico que eu tive, eu conheci o meu primeiro namorado no final do ano passado, ele demonstrou ser uma pessoa muito gentil e amorosa comigo, ele cuidava bastante de mim. Por mais que a gente tivesse bastante gostos em comum, nossas personalidades são bastante diferentes, ele é mais extrovertido e não para quieto, adora sair por aí. Já eu sou mais introvertida, gosto de ficar mais na minha.
Mas por mais que tivéssemos essas diferenças, eu não achava ruim, eu o deixava sair por aí, eu não ficava brava por conta disso, pois eu confiava bastante nele. Além que eu adorava ele por ter tanta facilidade de falar, adorava quando ele me contava das historias da saideira dele, gostava quando ele falava de jogos e de filmes que ele gostava... ok ok eu gostava muito dele.
O tempo foi passando e as coisas entre nos foi ficando ruins, porque eu tinha esse problema de interação, então por mais que eu quisesse ficar falando com ele horas e horas, eu não conseguia, eu ficava insegura de falar algumas coisas, eu tinha medo de ficar incomodando ele ou algo do tipo, além que eu e ele somos pessoas muito sensíveis, então eu tinha um grande bloqueio quando era para me expressar por medo. Ele tinha alguns problemas do passado dele, de outro relacionamento (não dizer para vocês já que é um assunto dele), esse assunto se tornou algo que me deixou muito insegura ao decorrer do nosso relacionamento.
No inicio desse ano, ele se machucou e teve que fazer uma cirurgia, e eu fiquei me sentindo uma inútil por não poder ir ajudar ele, por não poder visitar ele, porque eu ainda não tinha ido na casa dele e nem conhecido os seus pais, fiquei com vergonha de ir lá, mas eu sempre conversava com ele, perguntava como ele estava. Resumindo foi bem difícil ficar tanto tempo sem ver ele, eu estava bem triste, mas para não preocupar ele, eu não falava isso para ele.
Com o tempo ele começou a achar que eu estava um pouco fria com ele, mas não era intencional, eu dava algumas respostas meio diretas, mas não porque eu não queria falar com ele ou algo do tipo, era porque eu não sabia me expressar muito bem e também por estar triste por não poder ver ele.
Daí no inicio de abril ele terminou comigo, meio que me culpando, por eu ser uma pessoa fria, passou alguns dias e eu descobri que ele tinha voltado com a ex dele. E isso doeu muito, por mais que ele tivesse terminado comigo, eu ainda queria ser a sua amiga e saber como ele estava (porque ele ainda estava se recuperando da cirurgia), mas quando eu descobri que ele estava com outra eu resolvi cortar ele da minha vida. Então eu desejei para ele todas as felicidades do mundo e parei de falar com ele. Eu passei muito mal no primeiro mês, mas depois de um tempo eu fui me acostumando.
Eu passei a acreditar que ele era um mentiroso que nunca me amou, e ainda acredito nisso, passou alguns meses e ele me mandou uma mensagem dizendo que ainda me amava, e eu fiquei muito magoada, porque ele ainda esta namorando com a outra e me manda uma mensagem dessas, além que eu não acreditei... mas eu respondi ele, não por causa da mensagem, mas porque eu queria saber como ele estava, se já tinha se recuperado da cirurgia.
Agora aqui estou eu me sentindo idiota, e espantada por achar que o meu coração partido já tinha se recuperado, mas parece que ainda vai demorar um bom tempo para ele ficar melhor.
submitted by ApenasEuzinha to desabafos [link] [comments]


Segredo revelado: amigo entrega novo namoro de Hariany com Netto ELE JÁ FICOU COM A EX DE UM AMIGO? (ft MATHEUS SICILIA) MINHA EX NAMORA COM MEU AMIGO 'STORY-TIME'  Valdemar Tatiano Roberto Carlos - Namoradinha de um amigo meu - YouTube FIZ CIÚMES NO MEU EX NAMORADO COM O AMIGO DELE! (Ft ... TESTEI O MEU EX-NAMORADO E ACABOU EM BEIJO! (Ft. Gregory ... Ex de amigo, pode?🤔🤔🤔  MHM Responde - YouTube A EX-NAMORADA GOSTOSA DO AMIGO - YouTube FASES DE UM RELACIONAMENTO - YouTube Jovem pega a própria mãe na cama com seu ex-namorado e pai ...

3 Formas de Ser Amiga de seu Ex Namorado - wikiHow

  1. Segredo revelado: amigo entrega novo namoro de Hariany com Netto
  2. ELE JÁ FICOU COM A EX DE UM AMIGO? (ft MATHEUS SICILIA)
  3. MINHA EX NAMORA COM MEU AMIGO 'STORY-TIME' Valdemar Tatiano
  4. Roberto Carlos - Namoradinha de um amigo meu - YouTube
  5. FIZ CIÚMES NO MEU EX NAMORADO COM O AMIGO DELE! (Ft ...
  6. TESTEI O MEU EX-NAMORADO E ACABOU EM BEIJO! (Ft. Gregory ...
  7. Ex de amigo, pode?🤔🤔🤔 MHM Responde - YouTube
  8. A EX-NAMORADA GOSTOSA DO AMIGO - YouTube
  9. FASES DE UM RELACIONAMENTO - YouTube
  10. Jovem pega a própria mãe na cama com seu ex-namorado e pai ...

Grande história !!! Nunca estrague a tua amizade com os teus verdadeiros amigos por causa de uma mulher ou por causa de um homem. Namoro é um relacionamento que pode até durar, mas cedo ou ... Del LP brasileiro de 1966 lanzado en Diciembre, letra y música de Roberto Carlos. Versión en portugués remasterizada en sonido estéreo. ELE JÁ FICOU COM A EX DE UM AMIGO? (ft MATHEUS SICILIA) Mario Henrique ... Comentem novas ideias de vídeos para mim trazer aqui no canal! ... A BIBI ESTÁ NAMORANDO! - Duration: 10:57. Mario ... E aí galera, tudo beleza? Nesse vídeo eu e o meu ex-namorado (Gregory Kessey) nos testamos para saber quem conhece o outro melhor!!! Espero que tenham gostad... Uma jovem suspeitava de que o ex-namorado tinha um caso a mãe dela. E para transformar suas suspeitas em certezas, ela decidiu preparar uma cilada, para pegá... E aí galera, tudo beleza? Neste vídeo tive a ideia de chamar o Ujoazinho amigo do meu ex namorado Gregory Kessey para fazer ciúmes no meu ex. Ele ficou bem c... @maiconkusterkkk @flaviokotaka contato profissional: [email protected] Hariany, que participou da edição de A Fazenda 11, estaria namorando outro ex integrante do reality. Mas não é o lucas, que teve um romance polêmico com ela dentro do programa. O namoro era ... Pegar ex de um amigo, pode? Spoiler: Não pode, mas o Eddie e o Leo tentam decorrer um pouco mais sobre o assunto e todas as polêmicas envolvidas nele. A amiz... Todo relacionamento tem etapas, e essas com certeza você já passou. INSCREVA-SE - http://tinyurl.com/c6fm4ok Twitter: http://www.twitter.com/parafernalha Fac...